domingo, 3 de maio de 2009

Instruções para tomar um ônibus

Caminhe até o ponto de ônibus mais próximo, de preferência em saltos altos e meias-calças cor-da-pele, sob o calor abrasador de uma manhã de verão de São Paulo.
Durante o trajeto, deixe o salto penetrar em um dos inúmeros buracos da calçada, de modo a desgastar-lhe o couro ou a cortiça, sem, contudo, dar-se ao trabalho de quebrá-lo. Bastam algumas imprecações e a dúvida: Volto ou não volto?
O calor é grande, o caminho já vai pelo meio, melhor tocar adiante. Agradeça o fato de a meia ter-se mantido intacta.
Ao chegar ao ponto, torça para haver um assento ou ao menos uma parede em que se apoiar. Em não havendo, alterne o equilíbrio das pernas entre uma e outra, deixando escorrer entre a perna e a meia uma e outra gota furtiva de suor.
Aguarde cerca de meia hora e, ao perscrutar o monstro cor de abóbora que se aproxima, caminhe em direção ao meio-fio acompanhando a multidão que se formou e agarre a bolsa junto ao peito para evitar que lhe seja arrebatada, ou que caia revelando pente, batom, fotos 3 x 4, bilhetes de loteria e afins. Equilibre-se nos degraus até chegar ao cobrador e mais uma vez use o pensamento positivo para que ele tenha troco. Acomode-se entre a axila do sujeito à esquerda e a mochila da Hello Kitty da garota à direita e boa viagem.
Repita a operação cinco vezes por semana, pelo menos duas vezes ao dia.

Um comentário:

Matina disse...

Dr. Lizandra, com essa prescrição medica em quantas semanas eu já estarei apta a matar alguem quando chegar ao meu destino?
hehehehe
é Liz, pra andar de onibus é melhor vc abandonar o salto e a meia fina, tem que fazer estilo adolescente: jeans, tennis, camiseta e mochila ;)