quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Just a perfect day

Uma hora eu quero fazer tudo e me comprometo com as pessoas, depois percebo que não dá pra preparar uma sopa e ir na balada e chegar cedo para estar em Diadema às 9h30 do dia seguinte. Daí fico em casa, preparo a sopa, não vou na balada, não conheço ninguém e continuo aqui solta na vala.
Fazer um milhão de coisas no mesmo dia só dá certo quando não se planeja nada. Sábado, por exemplo, foi um dos perfect days do jeito que eu gosto.
Fui com a Lu de manhã procurar uma panela de pedra sabão e garimpar coisas de cozinha na Paula Souza. Saímos cedo pra conhecer a rua dos equipamentos de cozinha e foi divertido. Achei a panela, pesada para cacete, linda de morrer.
Daí fomos comprar pão italiano na Padaria Ana Néri, e levei a Lu pra ver onde meu avô conheceu minha avó, fazendo footing no Largo do Cambuci. Na época não devia ter Casas Pernambucanas nem Bradesco, só o açougue do concorrente do meu avô, que minha avó dispensou porque achou que ia dar muito trabalho de lavar aquela roupa suja de sangue.
Aí fomos almoçar num vegetariano e comprar ingredientes no Mercado da Lapa, que eu também não conhecia. Bacana, bom tamanho, achamos coisas boas.
Já era hora, então, de encontrar a Cris pra ir no cinema. Deixei a Lu, peguei a Cris e fomos ver o Gondry. Saindo do cinema, a gente foi correndo até o Parque do Ibirapuera, porque ia ter uma observação da lua na frente do Planetário. O tempo tava ruim, então não dava pra ver, mas fizeram uma simulação lá dentro e pude conhecer as novas instalações depois da reforma. Ficou muito legal. Planetário é tudo de nerd, mas é ótemo!
Depois da apresentação, ainda eram novemeia então deu tempo de tomar uma cervex na Vila com amigos, e acabei voltando pra casa às 3 da matina. Ah, que legal...

Um comentário:

Tati disse...

E vc ainda quer casar e ter filhos?????????????? Ahhhhhhhh, morri de inveja!!!